Banner Superior
Politica Estadual

Politica Estadual (781)

Pela 2ª vez, reabertura da Salgadeira é adiada pelo Governo

 

A reabertura oficial do Complexo Turístico da Salgadeira, situado na rodovia MT-251, entre Cuiabá e Chapada dos Guimarães, que estava marcada para este domingo (22.04), foi adiada. Esta é a segunda vez que a reabertura é adiada. Antes, estava prevista para ocorrer em 8 de abril.

 

Segundo o poder executivo, as chuvas constantes que caíram esta semana impossibilitaram a finalização dos serviços de paisagismo no local. Um nova data para liberação do espaço será divulgada após a implantação completa dos trabalhos.

 

"Adiamos a inauguração por determinação do governador Pedro Taques, que informou que só vai inaugurar o Complexo da Salgadeira quando a obra estiver totalmente pronta para que a população possa usufruir do local com segurança e tranquilidade", explicou o secretário do Gabinete de Governo, Domingos Sávio.

 

As obras de revitalização deixarão a Salgadeira mais organizada e moderna. Agora, o complexo passará a contar com um restaurante amplo, um mini museu, uma loja de souvenir, um posto policial, um miniauditório, área administrativa, playground, paisagismo e duas guaritas.

 

A novidade do projeto está na construção de uma estação de tratamento de esgoto, 24 postes de oito metros de altura, com lâmpadas de LED movidas a energia solar e a implantação de 540 metros de trilhas metálicas por onde os visitantes irão andar durante o passeio para evitar o contato com o solo e consequentemente sua depredação.

 

O lugar também terá mirantes, rampas e portas que permitem acesso de pessoas com deficiência. Além de estacionamento com 100 vagas para veículos, sendo cinco para ônibus, 84 para carros, uma para deficiente físico, além de 10 vagas reservadas ao administrativo do complexo.

O resgate do espaço, que ficou fechado por sete anos, foi possível após a formalização de um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) firmado entre o Governo de Mato Grosso e o Ministério Público Estadual com homologação do Poder Judiciário

MPE exonera promotor que desacatou policiais militares em MT

 

O Conselho Superior do Ministério Público exonerou o promotor de Justiça de Guarantã do Norte (709 km de Cuiabá), Fábio Camilo da Silva, na manhã desta quinta-feira (19).

 

Em julho do ano passado, Fábio Camilo foi flagrado, aparentemente alterado, desacatando policiais miltares. De um deles, ele chega a tirar o quepe.

 

Os membros do conselho negaram o vitaliciamente de Fábio Camilo, ou seja, impediram sua integração de forma definitiva nos quadros da instituição.

 

“Em estágio probatório foi constatado comportamento inadequado e desrespeitoso do senhor Fábio Camilo”, afirmou o relator do processo, procurador Domingos Sávio Arruda.

 

O relator ainda citou que Fábio Camilo foi afastado das funções em razão da acusação de ter desacatado e agredido policiais militares; atropelado e ameaçado de morte um deficiente físico; agredido um adolescente; destratado conselheiras tutelares e oferecido uísque a um juiz, durante audiência.

 

“[...] Todos esse fatos ocorreram após a crise psicótica então impugnada. Portanto, tais condutas se deram quando o doutor Fábio Camilo estava gozando de plena capacidade mental, então são comportamento próprios de sua personalidade”, disse o relator Domingos Sávio.

fonte:midianews

 

Ciro defende Pivetta para o governo, não descarta apoio a Mauro e abomina Taques

 Embora não tenha descartado uma composição para apoiar eventual candidatura do ex-prefeito de Cuiabá, Mauro Mendes (DEM), ao Governo do Estado, o presidenciável Ciro Gomes (PDT) espera que o ex-prefeito de Lucas do Rio Verde, Otaviano Pivetta, venha a ser pré-candidato à sucessão do governador Pedro Taques pelo partido. 

Nesta quinta (19), durante passagem por Barra do Garças, a caminho da Terra Indígena São Marcos, onde participa das comemorações alusivas ao Dia do Índio, o ex-ministro ressaltou que Pivetta é um velho amigo e já mostrou sua capacidade quando prefeito em Lucas do Rio Verde com serviços essenciais, como uma saúde de primeiro mundo e educação de excelência. 

"Se ele topa a ser pré-candidato a governador, acho que Mato Grosso não estará melhor servido do que qualquer estado brasileiro. É de uma linhagem de decência, de trabalho, de compromisso com o Estado e a produção. Conhece o agronegócio. Ele vai amadurecer e se ele for, nós vamos apoiá-lo com todo entusiasmo", destacou. 

Ciro Gomes não descartou também um possível apoio ao nome do ex-prefeito de Cuiabá. Se referiu ao democrata como amigo, mas, segundo ele, a fase é de "tatear os caminhos e dialogar". "Nossos companheiros têm autonomia para fazer os entendimentos. O Pivetta tinha se aborrecido com o PDT, agora volta, mas eles vão saber achar o caminho. Estão preocupados com o Brasil, com Mato Grosso e se a preocupação deles é essa, a solução será compatível", enfatiza. 

Taques 

Sem se referir ao nome do senador Wellington Fagundes, pré-candidato ao governo, o presidenciável do PDT não descartou apoio a outros eventuais nomes, mas ponderou que a única objeção da agremiação é em relação ao governador Pedro Taques (PSDB), que deve concorrer à reeleição. Conforme Ciro, a possibilidade de apoiar o ex-colega de partido é "zero, menos dez, menos 100 e menos mil".

fonte:rdnews

 

Jaime Campos qualifica juíza como insignificante

 

O ex-secretário de Assuntos Estratégicos de Várzea Grande, Jaime Campos (DEM), reagiu duramente as declarações da juíza aposentada Selma Rosane Santos, que o qualificou nesta semana como "símbolo da velha política". Em entrevista nesta quarta-feira a rádio capital FM, o ex-senador qualificou a ex-magistrada como "insignificante" numa resposta aos comentários contra a família Campos.

 

Para ele, Selma Arruda busca ganha visibilidade ao antecipar ataques sobre eventuais adversários na disputa senatória. "Estou acima disso ai. Todavia, acho que não podemos em hipótese alguma deixar de lembrar que existem algumas pessoas que estão desempregadas e em busca de palanque eleitoral", disse.

 

Jaime lembrou que tem serviços prestados como ex-prefeito de Várzea Grande por três mandatos, ex-governador e ex-senador em quase 30 anos de voda pública. "Essas pessoas não conhecem nossa trajetória e biografia. É uma perda de tempo responder para determinadas pessoas e eu imagino que meus serviços prestados por si só falam tanto é que as pesquisas me dão um bom percentual. Isto me deixa feliz que esses discursos que estão ai é uma camuflagem", comentou.

 

O ex-parlamentar também suspeitou que ex-magistrada tenha se utilizado da Sétima Vara Criminal de Cuiabá com interesses políticos. "São pessoas que esconderam através de um cargo usando de malefícios e artíficios querendo se preparar eleição", lembrou sobre a ex-juíza que mandou prender figuras políticas como o ex-deputado José Riva (sem partido) e o ex-governador Silval Barbosa (sem partido).

 

Ao final, Jaime Campos alertou que políticos que buscarem a baixaria nesta eleição terão a resposta nas urnas. "Quem vai falar, são as urnas e vamos quem o povo de Mato Grosso gosta. Não vou dar palanque a quem não tem compromisso e essas pessoas não chegarão a lugar nenhum", assinalou.

 

Recado de Taques é a Pivetta e Zeca

 

“Algumas pessoas pensaram que poderiam mandar em mim porque têm muito dinheiro. São milionárias, pensaram que poderiam me mudar. Não mudei. Não sou vaca de presépio”. Do governador Pedro Taques (PSDB), em entrevista à Rádio Vila Real FM.

 

O recado de Taques tem endereços: o ex-prefeito de Lucas, Otaviano Pivetta, e o deputado Zeca Viana, do PDT, duas das maiores fortunas de MT. Segundo o governador, os dois tentaram controlá-lo após a vitória nas eleições de 2014. Hoje, ambos são os maiores críticos de Taques.

 

Deputados mantêm apoio a Taques; Fávaro ameaça expulsão

Os deputados estaduais Pedro Satélite, Wagner Ramos, Gilmar Fabris, e Ondanir Bortolini, o "Nininho", anunciaram nesta quinta-feira (5) que vão permanecer no PSD e lutar para que o partido faça parte do arco de aliança da reeleição do governador Pedro Taques (PSDB). 

O grupo tinha a intenção de deixar a sigla por conta da decisão do PSD em se manter independente em relação à gestão tucana para conversar com a oposição e construir um projeto eleitoral para este ano. 

A decisão gerou reação do presidente do PSD em Mato Grosso, o ex-vice-governador Carlos Fávaro, que em nota sugeriu que os parlamentares procurem uma nova sigla. 

Em conversa com a imprensa, na tarde desta quinta, os parlamentares disseram ter escolhido permanecer e usar de sua influência para trazer o partido novamente para base do governador. 

“Entendemos que é melhor para todos continuar no partido, inclusive para Pedro Taques, porque é mais um partido que está e poderá estar no arco de aliança. Há os líderes e os liderados. E se você não tem liderança nenhuma, não pode nem ser candidato. Nós temos um convívio muito bom com lideranças e vários prefeitos me apoiam. E eu, com certeza, vou ter influência para convencê-los, de maneira democrática, que é mais importante acompanhar o processo da reeleição do governador”, disse Satélite. 

“Então vamos trabalhar. E quem tem liderança, voto, vai fazer o trabalho de convencimento. Lá na frente, quem tiver mais músculo, mais forte, vai vencer e vai dizer onde vamos estar. Os quatro deputados vão trabalhar pela reeleição do Taques. É a arte do convencimento”, completou. 

Segundo Gilmar Fabris, o ex-deputado federal Roberto Dorner também teve papel fundamental na permanência dos parlamentares. 

“Vamos ficar, primeiro porque gostamos da sigla. Segundo: os nossos cabos eleitorais estão dentro da sigla. Terceiro, pelo pedido de prefeitos, vereadores e, em especial, do Roberto Dorner, que nos fez um apelo para ficar e construir uma candidatura, dentro de um chapão para estadual e federal. Isso fez com que nós aqui ficássemos”, disse. 

“Taques tem o apoio dos deputados que estão aqui. Vamos reconstruir [a aliança]. E, automaticamente, enquanto os deputados estão apoiando, trazem consigo suas lideranças. Já disse e repito: os quatro deputados aqui têm 20 prefeitos por trás, vários vereadores, militantes, e todos vão estar com o Pedro para construir sua reeleição”, afirmou. 

Expulsão 

Logo após a coletiva dos parlamentares, Fávaro liberou uma nota criticando quem ele classificou de uma “minoria que quer prevalecer suas ideias no grito”. 

Segundo ele, a decisão de independência em relação a Taques é “irreversível” e quem não estiver satisfeito deve buscar outra agremiação partidária. 

“O PSD esclarece que a decisão é irreversível. Os caminhos da legenda são e serão trilhados ouvindo a maioria. Não podemos confundir democracia com baderna. Não teremos divisão em nosso partido. Não teremos dois lados. Todos devem acatar o que a maioria decidiu”, afirmou. 

“Não vamos permitir que uma minoria queira prevalecer suas ideias no grito. Queremos fazer uma nova política, baseada no respeito das decisões democráticas, que devem começar dentro de nossa própria casa: o partido. Quem não estiver satisfeito com esse modelo, que não aceita o que a maioria quer, deve buscar outra agremiação partidária”, disse. 

Nos bastidores, o presidente da sigla disse cogitar, inclusive, uma expulsão dos deputados. 

Leia a íntegra da nota: 

NOTA À IMPRENSA 

Diferentemente do que foi anunciado em coletiva de Imprensa realizada hoje por alguns deputados do PSD descontentes com a posição tomada pelo partido de tornar-se independente do atual governo, a executiva do Partido Social Democrático informa: 

A decisão partidária foi tomada pela maioria em reunião no dia 21 de março em sua sede em Cuiabá, inclusive com a participação desses deputados. O PSD esclarece que a decisão é irreversível.  Os caminhos da legenda são e serão trilhados ouvindo a maioria. Não podemos confundir democracia com baderna. Não teremos divisão em nosso partido. Não teremos dois lados. Todos devem acatar o que a maioria decidiu. Como bem já frisamos, acabou o caciquismo no PSD. Não vamos permitir que uma minoria queira prevalecer suas ideias no grito. Queremos fazer uma nova política, baseada no respeito das decisões democráticas, que devem começar dentro de nossa própria casa: o partido.  

Quem não estiver satisfeito com esse modelo, que não aceita o que a maioria quer, deve buscar outra agremiação partidária. 

Viva a democracia. 

CARLOS FÁVARO-Presidente Estadual do PSD

 

Favaro renunica ao cargo de vice governador

O vice-governador do Estado, Carlos Fávaro (PSD), renunciou oficialmente ao cargo na manhã desta quinta-feira (05). O comunicado foi feito por meio de seu perfil no Facebook. 

Fávaro justificou a renúncia em razão da "missão" dada pelo partido em "contruir um novo projeto para Mato Grosso". Ele já entregou sua carta de renúncia ao presidente da Assembleia Legislativa, Eduardo Botelho (PSB). 

"Não poderia me dedicar a esse propósito, fortalecendo o partido para as candidaturas proporcionais, recebendo o salário mensal de R$ 20 mil e nem continuar utilizando a estrutura que dá apoio à Vice-Governadoria". 

No comunicado, Fávaro fez um balanço de sua gestão como vice-governador e também como secretário de Estado de Meio Ambiente, esta última função desempenhada até dezembro do ano passado.  

"Desde que assumi o cargo de vice-governador, reduzi sensivelmente o tamanho da estrutura que, na época, contava com 74 cargos, sendo 46 exclusivamente comissionados. No primeiro ano, diminuí para 20 o número total de servidores e mantive essa média até hoje. Com o compromisso de reduzir custos, diminuí 60% das despesas administrativas e isso tudo sem prejudicar os trabalhos, já que realizamos 12 mil atendimentos durante o período que estive à frente do gabinete".A nova política exigida pela sociedade não quer discurso, quer ação. Tenho convicção de que esta é a decisão mais acertada.

"Além disso, assumi por 20 meses a gestão da Sema - Secretaria de Estado de Meio Ambiente, um dos maiores desafios da minha vida e, com muito trabalho, planejamento e dedicação, apresentamos avanços em todas as áreas. Hoje, com certeza, temos uma secretaria muito mais eficiente e cumprindo o seu principal papel, que é a preservação do meio ambiente, sem atrapalhar o desenvolvimento econômico".

Fávaro também afirmou que não seria ético de sua parte trazer prejuízo ou despesa aos cofres públicos, "utilizando-me de uma estrutura que foi criada para atender ao mandato de vice-governador". 

"A nova política exigida pela sociedade não quer discurso, quer ação. Tenho convicção de que esta é a decisão mais acertada". 

Carta de renúncia 

O discurso contido no comunicado foi reforçado na carta de renúncia endereçada ao presidente da Assembleia. 

Na carta, Fávaro disse que não faria sentido construir sua candidatura enquanto continua na Vice-Governadoria, "de modo a desperdiçar todo o esforço despendido ao longo desses três anos, três meses e cinco dias" em que esteve no cargo.

"Dessa forma, a fim de continuar contribuindo com Mato Grosso na construção de um novo projeto para o Estado, informo Vossa Excelência que renuncio, a partir dessa data, ao cargo de vice-governador".  

A renúncia de Fávaro começou a se desenhar no final de março, quando o PSD resolveu desembarcar do Governo e entregar seus cargos, evidenciando o rompimento com o governador Pedro Taques. 

Ao deixar o Governo, Fávaro não corre risco de ter sua candidatura ao Senado inviabilizada, caso venha a assumir o Paiaguás - ainda que por um dia - nos seis meses anteriores à eleieção. É que a legislação eleitoral torna inelegível para os cargos legislativos aquele que assumir o Governo no período. 

Aliados chegaram a apresentar um projeto de lei na Assembleia determinando que Taques comunicasse com antecedência sua saída do País, como forma de impedir que Fávaro assumisse o posto de governador.

 

PSD oficializa "desembarque" do Governo e entrega cargos a Taques

 

O PSD oficializou na manhã desta segunda-feira (2), um ofício informando a “postura de independência” do partido em relação ao Governo do Estado. O documento é assinado pelo vice-governador Carlos Fávaro, presidente regional do partido.

 

Fávaro justificou a medida afirmando que ela foi aprovada numa reunião estadual da sigla, ocorrida em 21 de março de 2018. O “desembarque”, segundo o ofício, faz parte da nova estratégia partidária, onde a legenda tem como meta lançar Fávaro ao ao cargo de senador.

 

Na prática, a “independência” do PSD em relação ao Poder Executivo terá como uma das consequências a “disponibilização” de todos os cargos que a sigla indicou ao Poder Executivo durante a gestão Pedro Taques. O principal deles é a Secretaria de Ciências e Tecnologia, sob comando do ex-vereador Domingos Sávio.

 

Outros cargos relevantes ocupados pela sigla são a presidência da Empresa Mato-grossense de Pesquisa e Extensão Rural (Empaer), sob Layr Motta, e a Agência Estadual de Regulação dos Serviços Públicos Delegados (Ager), que tem a frente Eduardo Moura.

 

A medida, porém, não afeta os indicados da cota pessoal dos deputados estaduais da sigla. Segundo a nota, os parlamentares que fazem parte da base governista só deverão “devolver” os cargos se assim desejarem. “Mesmo com a postura de independência, os deputados estaduais que pertencem à base governista na Assembleia Legislativa, continuarão apoiando os projetos do Governo, visando manter a coerência e os compromissos assumidos com esta gestão. Os cargos disponibilizados aos deputados são de responsabilidades deles”, diz trecho da carta.

 

A carta informa, ainda, que os deputados estaduais “reafirmaram” a permanência no PSD. “Os deputados reafirmaram também a permanência no PSD, confirmando a unidade partidária que conseguimos atingir ao longo da construção deste partido, que é um dos maiores de Mato Grosso”.

 

Já na AL-MT, os deputados estaduais Gilmar Fabris, Ondanir Bortolini, o “Nininho”, José Domingos Fraga, Pedro Satélite e Wagner Ramos seguem apoiando o governador Pedro Taques.

fonte: Folhamax

 

Emanuel será Coordenador da campanha de WF

 

O prefeito Emanuel Pinheiro (MDB) deverá assumir a coordenação geral da campanha do senador Wellington Fagundes (PR) ao Palácio Paiaguás.

 

Em um encontro na semana passada, em Cuiabá, com lideranças da oposição, WF afirmou que não recua mais da disputa ao Governo. Ele acredita que tem capilaridade e prestígio em todas as regiões do Estado, obtida com serviços e emendas distribuídas ao longo das mais de duas décadas de mandato.

 

Com isso, Emanuel terá papel preponderante no sentido de organizar a estrutura da campanha e, ao mesmo tempo, garantir em Cuiabá uma votação expressiva ao senador, que tem base política na região de Rondonópolis.

 

Por Farm Show, Taques vem amanhã em Primavera

 

Nesta semana o governador Pedro Taques (PSDB) deve participar de uma série de entregas do Governo do Estado.

 

Taques também irá na abertura da Farm Show, em Primavera do Leste, se reúne com a bancada federal de Mato Grosso e com vereadores de Cuiabá.

 

O governador também inaugura a Salgadeira no próximo domingo (8), aniversário de 299 anos de Cuiabá.

 

Segunda-feira (02.04)

 

Às 10h, o governador participa da entrega de barracas de feira adquiras pelo Estado, via Secretaria de Estado de Agricultura Familiar e Assuntos Fundiários, na Travessa Celso Luis M. de Almeida, 45 - Poção, Cuiabá - MT. Depois cumpre agenda no seu gabinete.

 

Às 17h, visita a nova sede do Indea, no Centro Politico Administrativo. Por último, segue para a sede do grupo Bom Futuro onde participa da nomeação do Conselho Deliberativo do Instituto Mato-grossense da Carne.

 

Terça-feira (03.04)

 

Às 10h o governador participa da Farm Show, em Primavera do Leste. No período da tarde, às 17h, entrega ao Tribunal de Contas do Estado (TCE) às contas relativas ao ano de 2017, na sede do tribunal. Às 19h participa da inauguração da agência Stilus do Banco do Brasil, na avenida Miguel Sutil e depois da cerimônia de entrega do Centro Odontológico de Várzea Grande (Rua 24 de Maio).

 

Quarta-feira (04.04)

 

Às 9h o governador participa da inauguração da companhia do Corpo de Bombeiros no Distrito Industrial. Depois, segue para Barão de Melgaço onde participa do projeto Ribeirinho Cidadão.

 

No período da tarde, o governador tem reunião com o prefeitos e vereadores.

 

Quinta-feira (05.04)

 

Às 7h30, o governador visita o residencial Nico Baracat, em Cuiabá. Às 9h30 tem reunião com representação do parlamento europeu. Depois, assina Protocolo de Intenções – Destinação/Aplicação de recursos do Banco da Amazônia para o estado de Mato Grosso em 2018 e almoça com a bancada federal de Mato Grosso, no Palácio Paiaguás.

 

Às 16h participa do evento Brasil Livre de Febre Aftosa, realizado pelo Ministério da Agricultura, na sede da Famato. Às 20h concede entrevista ao programa Resumo do Dia, TBO, canal 8.1 em Cuiabá.

 

Sexta-feira (06.04)

 

Às 06h30, Taques vistoria obras de duplicação da Avenida Filinto Muller, em Várzea Grande. Às 8h30 faz reunião com os vereadores de Cuiabá e às 19h, participa da entrega de títulos em Várzea Grande.

 

Domingo (08.04)

 

Às 8h o governador participa da entrega do complexo turístico da Salgadeira, em comemoração aos 299 anos de Cuiabá.

 

Assinar este feed RSS

29°C

Primavera do Leste

Parcialmente Nublado

Umidade: 70%

Ventos: 0 km/h

  • 24 Mar 2016 27°C 21°C
  • 25 Mar 2016 27°C 21°C
Banner 468 x 60 px