Banner Superior

Confirmado. Carmem é candidata a Prefeito e Neri a vice

A reunião marcada para as 10 hs da manhã, conforme antecipou este Jornal, entre o ex Prefeito afastado por crime de improbidade e a candidata Carmen, acabou neste momento. Está confirmada a chapa Carmen Betti candidata e Neri Gaiteiro vice. Com isto está reeditada a dobradinha da convenção PDT e PSC, só que com a inversão de na cabeça da chapa.

O ex Prefeito afastado por crime de improbidade garantiu que vai para as ruas pedir votos para a vereadora e garantiu ainda ser amigo de infância de Neri Gaiteiro em quem deposita toda esperança de manter os Vianas no poder de forma indireta. Neri é vereador de 2º mandato pelo PDT. 

O ex Prefeito afastado por crime de improbidade administrativa tem tanto comando do processo que, embora filiado ao PSB, decidiu a situação em nome do PDT, que na teoria seria comandado pelo seu irmão Zeca, mas que não estava na reunião. O grupo do ex vereador Antonio Marcos (Piru), embora tenha declarado que não apoiaria mais nenhum candidato, voltou atrás e vai apoiar o projeto Carmen/Neri. 

Ely Leal - Redação

Saída de Mateus tira PDT da disputa e Carmem está indecisa

A vinda do Prefeito afastado do cargo por crime de improbidade administrativa, Getúlio Viana (PSB), não foi o suficiente para que o sobrinho Mateus Viana (PDT) ficasse como candidato do grupo PDT-PSC para as eleições suplementares de 19 de novembro. Nesta quinta-feira, 19 de outubro, por volta das 22:00hs, a retirada de Mateus e a proposta do PDT, fez com que a vereadora Carmem Betti (PSC) também desistisse da candidatura. Mas ela ainda está indecisa.

Uma reunião, nesta manhã de sexta-feira, 20, entre ela e o cacique Getúlio, será batido o martelo definitivamente quanto a uma improvável candidatura do grupo. A tendência é que Leonardo Bortolin (PMDB) seja candidato único nas eleições suplementares.

A resistência de Mateus é anterior a convenção. Ele não queria ser candidato de maneira nenhuma e acabou aceitando num primeiro momento (convenção) por exigência do pai, (deputado Zeca Viana) e do tio (ex Prefeito afastado por crime de improbidade) Getúlio.

Este Jornal, conhecedor da situação, lançou no dia das convenções, reportagem, cujo título se transformou em realidade. A chapa PDT-PSC era “tampão”. Os fatos confirmaram a realidade. Apesar das inúmeras tentativas da presidente municipal do PDT, Cibele Amaral em tentar confundir a imprensa dizendo que Mateus permanecia candidato. Não era verdade.

A vereadora Carmem Betti, candidata a vice na chapa “tampão” e virtual candidata com a desistência de Mateus, ao ver que o PDT não iria lhe oferecer condições financeiras para tocar uma campanha para Prefeito, também pediu para sair da disputa, conforme já havia sido antecipado por este Jornal, muito antes.

Mateus saiu da disputa e viajou para a fazenda, sem assinar a carta de renúncia, e para registrar uma candidatura, qualquer pessoa do grupo PDT-PSC precisa entrar com um mandato de segurança na Justiça Eleitoral. Ou Mateus retorna para assinar a carta.

O PDT, conforme foi antecipado aqui, sem ter um nome Viana, fez o que este Jornal dizia que faria, não apoiou financeiramente nenhum outro projeto, nem apresentou alternativas. A presidente do partido, Cibele Amaral, que não tem autonomia para resolver nada sem as bênçãos do Vianas, nada mais pode fazer.

O grupo de apoio á Carmem Betti, liderado pelo ex-Vereador Pirú (Antonio Marcos) tentou convence-la a se manter na disputa, prometendo lutar e ir para as ruas, mesmo sem condições financeiras, para levar aos eleitores uma opção de voto, baseado na proposta. Carmen não confiou nos companheiros e só não desistiu oficialmente pela insistência do presidente do seu partido e marido, Sr. Oziel que deseja que ela permaneça. Na reunião com Getúlio ela vai dar a palavra final, mas o grupo de apoio do Piru, já decidiu que não vai mais apoiar ninguém nessas eleições. 

Ely Leal - Redação

STF nega liberdade e Paulo Taques continua na cadeia

O ministro Luis Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal (STF), negou liberdade ao ex-secretário-chefe da Casa Civil, Paulo Taques, preso acusado de atrapalhar investigações relativas ao esquema de grampos ilegais operado em Mato Grosso.

A decisão foi proferida no início da noite desta quarta-feira (18), mas ainda não foi publicada na íntegra.

Segundo informações preliminares, o ministro teria entendido que o STF ainda não deveria analisar o caso, mas sim aguardar o julgamento de mérito de um HC no âmbito do Superior Tribunal de Justiça (STJ).

Taques foi preso no último dia 27, quando foi deflagrada a operação Esdras, da Polícia Judiciária Civil (PJC). Desde então, ele segue detido no Centro de Custódia da Capital.

As investigações apontam que o ex-chefe da Casa Civil teria participado de uma trama que tinha o objetivo de afastar o desembargador Orlando Perri, do Tribunal de Justiça, do caso.

No decreto que determinou a prisão de Paulo Taques, o desembargador Perri chegou a classificá-lo como um dos "protagonistas" do esquema.

A defesa de Taques já havia ingressado com um pedido de liberdade no STJ, que foi negado pelo ministro Ribeiro Dantas, no último dia 6.

Na decisão, o ministro manteve a prisão sob o argumento de que o ex-secretário é um dos maiores beneficiários das escutas ilegais.

“Ouvi dizer de criminoso”

Ao ingressar com HC no Supremo, a defesa de Paulo Taques acusou o desembargador Perri de ter confiado “cegamente” no depoimento baseado em “ouvir dizer”, prestado pelo tenente-coronel José Henrique Soares.

Soares chegou a integrar o grupo criminoso, mas resolveu colaborar com as investigações e dar detalhes do esquema.

Na medida, os advogados Cláudio Alencar, Pedro Pertence e Maria Lima reclamaram que o decreto de prisão sequer ouviu a opinião do Ministério Público Estadual (MPE), e teve como base unicamente o depoimento do coronel José Henrique Soares.

Nesse depoimento, o militar disse que foi coagido a auxiliar a organização criminosa para que continuasse sob sigilo o fato de ele ser dependente químico e de ter firmado sociedade em uma empresa, mesmo proibido legalmente, além da promessa de receber uma promoção na carreira, caso colaborasse.

Para os advogados, apesar de o depoimento noticiar “eventos gravíssimos”, inclusive contra membros do Ministério Público, esse fato isolado não autoriza Perri a ignorar o MPE e decretar a prisão, “com base em um único depoimento, vago e dado em fase de inquérito”.

Os advogados argumentaram também que o desembargador citou “sérios e fundados indícios” de que Paulo Taques seria o financiador da organização criminosa, mas não apresentou quais indícios seriam esses.

Operação Esdras

A Operação Esdras, deflagrada no final de setembro, desbaratou o grupo acusado de montar uma estratégia para atrapalhar as investigações relacionadas aos grampos ilegais e obter a suspeição do desembargador Orlando Perri, que até então conduzia o caso.

Além de Paulo Taques, foram presos os então secretários de Segurança Pública, Rogers Jarbas, e o de Justiça e Direitos Humanos, Airton Siqueira - já exonerados -; o ex-secretário da Casa Militar, Evandro Lesco, e o major Michel Ferronato.   

Tiveram a prisão decretada ainda a personal trainer Helem Christy Carvalho Dias Lesco, esposa de Lesco; o sargento João Ricardo Soler e o empresário José Marilson da Silva (que jpáá conseguiu soltura por colaborar com as investigações).

A operação só possível graças à denúncia do tenente-coronel José Henrique Soares, escrivão do inquérito policial militar sobre o caso dos grampos, que havia sido cooptado pelo grupo, mas se arrependeu.  Ele entregou à Polícia Civil uma farda, em cujo bolso estava acoplada uma câmera, que seria usada para filmar o desembargador Orlando Prri. A ideia era pedir a suspeição do magistrado.

 

O nome da operação é uma referência ao personagem Esdras ("Aquele que ajuda, Ajudador, Auxiliador"), da tradição judaico-cristã. Ele liderou o segundo grupo de retorno de israelitas que retornaram de Babilónia em 457 a.C. . Descendente de Arão, o primeiro Sumo Sacerdote de Israel, Esdras era escriba (copista da lei de Moisés) entendido na lei de Moisés.

fonte:midianews

PDT – O dia “D”

Sem rumo, após a renúncia do candidato Mateus Viana, o grupo político do PDT tem nesta quinta-feira, 19/10, seu “D” da campanha eleitoral.

A renúncia de Mateus, exposta a um grupo de apoiadores ainda não foi assinada por ordem do ex Prefeito afastado por crime de improbidade administrativa, Getúlio Viana. O PSC através de seu Presidente, Sr. Oziel, lançou a vice, vereadora Carmem Betti, como candidata a Prefeito. O esfacelado PDT tentou emplacar Juarez da Loreta como vice de Carmem. Era só especulação. Juarez não aceitou.

De São Paulo, onde estava, o ex Gestor, praticante do crime de improbidade, mandou parar tudo, para que ele resolva, quando voltar. Ele volta hoje, quinta-feira, 19/10.

Sua missão é mudar a decisão de Mateus Viana da ideia de renunciar. Se não conseguir, Getúlio vai tentar encontrar alguém disposto a assumir a árdua missão, especialmente ligado ao agronegócio e que seja filiado ao PDT.

Na última hipótese, se não conseguir nenhuma das duas opções acima, vai aceitar a vereadora Carmem como candidata cabeça-de-chapa e indicar alguém do PDT como vice. Ou deixar Carmem livre para lançar chapa pura.

Se esta última hipótese for aceita, toda a família Viana irá apoiar Carmem, mas sem ajuda-la na campanha (gastos) e sem colocar a cara na rua. Isto ficará por conta do grupo comandado pelo ex-vereador Piru (Antônio Marcos) que se mantém firme na proposta de oferecer uma alternativa de voto aos cidadãos primaverenses.

De qualquer forma, hoje sai a decisão. O grupo já perdeu dois dias de campanha eleitoral no rádio e na TV por conta da indefinição. E com os curtos prazos desta campanha suplementar, pode ser que já decretado a definição da eleição. 

Ely Leal - Redação

Nesta sexta, Primavera recebe espetáculo teatral. Sábado é em Poxoréo

Nos dias 20 e 21 de outubro, os municípios de Primavera do Leste e Poxoréu recebem o encontro imaginário de Silva Freire e Sete Escamas. O espetáculo 'O Poeta e o Garimpeiro' será encenado pelos atores da Cia de Teatro Cena Onze em parceria com a Orquestra de Viola de Poxoréu.

A apresentação tem como objetivo resgatar a identidade mato-grossense, unindo a poesia de Freire, nascido no município de Mimoso, com a música e dança de Poxoréu, cidade originalmente formada por garimpeiros vindos do nordeste do país.

"Para nós do Cena Onze essas apresentações são muitos importantes, pois tivemos que conhecer mais sobre a história da região para montar a peça, que é baseada nos contos de Silva Freira e sobre o garimpo naquele território. Os fatos contados no espetáculo são muito significativos, lidaremos com emoções de pessoas que verão suas vidas refletidas no teatro", comenta Flávio Ferreira, diretor do grupo teatral.

Na Poxoréu dos anos 40, o baiano Antônio Cândido da Silva, o Sete Escamas, ficou conhecido em todo Estado. Líder de confrontos armados contra capangas e guarnições, foi de garimpeiro a conciliador, capaz de usar sua fama de valentão para costurar a paz com as autoridades. De pacato comerciante a um homem de "corpo fechado”, de rígido delegado a místico benzedeiro admirado pelo povo.

Na mesma época, Cuiabá assistia Benedito da Silva Freire iniciar sua trajetória de jornalista cultural, líder estudantil, presidente da UNE, advogado criminalista, exímio orador em tribunais de júri. Um dos fundadores da Faculdade de Direito da Universidade Federal de Mato Grosso, perseguido político da ditadura militar, membro da Academia Mato-Grossense de Letras, poeta da boemia, da irreverência e dos personagens da noite.

O poeta Silva Freire e o garimpeiro Sete Escamas viveram intensamente seu tempo. Deixaram em comum, por meio dos escritos do poeta ou pelos relatos dos que testemunharam as aventuras do garimpeiro, registros místicos e poéticos das noites, becos, cabarés, bares, esquinas, ruas e até mesmo da política da capital e do interior de Mato Grosso.

Silva Freire e Sete Escamas nunca se conheceram. Por isso, a Cia de Teatro Cena Onze promove o encontro imaginário dos dois personagens eternizados na cultura mato-grossense, em O Poeta e o Garimpeiro.

 

As apresentações acontecem no Centro Cultural de Primavera do Leste (20) e na Quadra Centro Juvenil em Poxoréu (21), ambas às 20h. A entrada é gratuita.

Assessoria de Imprensa

TJ atende pedido da oposição e votação da PEC é adiada de novo

O desembargador plantonista Sebastião Barbosa Farias, do Tribunal de Justiça de Mato Grosso, concedeu, na madrugada desta quarta-feira (18), liminar para que o deputado estadual Allan Kardec (PT) tenha prazo de cinco dias para analisar a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) do Teto de Gastos.

A PEC estabelece limite para os gastos estaduais pelos próximos cinco anos.

O texto foi aprovado pela Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) no dia 10 de setembro. A proposta estava prevista para começar a ser votada ainda nesta semana em plenário.

O mandado de segurança, com pedido de liminar, foi impetrado pelos deputados Allan Kardec e Valdir Barranco, ambos do PT, e Janaina Riva (PMDB), na noite de terça-feira (17). Eles alegaram que o presidente da Assembleia Legislativa, deputado Eduardo Botelho (PSB), teria violado o procedimento do direito de vista.

Os parlamentares pontuaram que a Mesa Diretora concedeu, na sessão de terça-feira (17), vista conjunta aos deputados Allan Kardec e Mauro Savi (PSB), em relação à PEC, pelo prazo de 24 horas.

Os membros da oposição alegaram que o Regimento Interno da Casa prevê que o prazo de um dia de vista somente pode ser concedido em regime de urgência no âmbito de comissões.

Desta forma, os três deputados alegaram que a vista de apenas 24 horas não poderia se aplicar ao caso da PEC de Teto de Gastos. Eles pediram que fosse concedido cinco dias, conforme prevê o Regimento Interno.

Barranco, Kardec e Janaina argumentaram que o presidente da Assembleia, Eduardo Botelho (PSB), estaria forçando a aplicação de regime diferenciado do incidente ao caso.

Os deputados detalharam ainda que após a concessão da vista, na terça-feira, a votação terminou de modo abrupto, sem a finalização de procedimentos fundamentais para as sessões, como pequeno e grande expediente, ordem do dia e explicações pessoais.

Com base em tais alegações, os parlamentares afirmaram que houve a "nítida violação da norma estabelecida pelo Regimento Interno". Desta forma, pediram que a magistrado concedesse o prazo de vista de cinco dias para Kardec.

"Requerem, assim, a concessão da segurança, para determinar a suspensão da tramitação do referido Projeto de Emenda Constitucional até o julgamento meritório do "writ" ou, subsidiariamente, para determinar que o impetrado abstenha-se de desobedecer às normas regimentais incidentes no caso concreto e, para tanto, estipular um prazo de vista razoável".

Juiz reconheceu pedido

Em sua decisão, o desembargador Sebastião Barbosa Farias pontuou que a vista de 24 horas, em um procedimento que não é considerado de urgência, poderá trazer prejuízos e até mesmo acarretar nulidade futura, "em desrespeito à norma posta pelo Regimento Interno da Assembleia Legislativa do Estado".

"A esse respeito, importante consignar que o artigo 221 do Regimento Interno dispõe que o prazo de adiamento ou vista não poderá exceder cinco dias, nem ultrapassar a Sessão Legilativa em curso", assinalou.

O magistrado frisou que a decisão da Mesa Diretora em conceder o prazo de apenas 24 horas não é razoável, pois é um período considerado curto.

Desta forma, o magistrado acolheu o pedido dos deputados da oposição e determinou que o período determinado pela Mesa Diretora fosse estendido.

"Ante o exposto, defiro a concessão da segurança almejada para o fim de determinar que o pedido de vista referente à PEC 10/2017 se estenda a cinco dias, a partir da data de deferimento pelo Sr. Presidente da Assembleia Legislativa do Estado, atento ao que dispõe o artigo 221, II e 275, ambos do Regimento Interno da Assembleia Legislativa de Mato Grosso", asseverou.

O desembargador determinou ainda que Botelho seja intimado sobre a decisão, para que apresente informações sobre a sessão de terça-feira.

A PEC

Entre outros itens, o texto impõe condição para a Revisão Geral Anual (RGA), impede a concessão de incentivos fiscais e determina que o Governo apresente uma reforma administrativa, incluindo o programa de incentivo à demissão voluntária.

A previsão inicial era de que a votação tivesse início no começo do mês. No entanto, o procedimento foi adiado por falta de quórum, durante a primeira semana de outubro.

Na última quarta-feira, a votação foi adiada novamente, em razão de pedido de vistas do deputado estadual Valdir Barranco (PT) a um dos vetos da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO).

A proposta tem sido alvo de duras críticas do funcionalismo público e da oposição, que apontam que a medida será prejudicial à categoria e a diversos setores do Estado.

A oposição afirma que tem o objetivo de impedir a aprovação da medida. Entre as estratégias adotadas para atrapalhar o andamento da votação estão os pedidos de vistas.

Para ser aprovada, a proposta precisa passar por três votações no Legislativo estadual.

 

A PEC precisa estar aprovada antes do fim de novembro, prazo para que o Governo Federal decida se dará os benefícios da aprovação da medida, entre os quais está o não-pagamento de R$ 1 bilhão em dívidas com a União.

fonte:

TCE aponta irregularidades e governo suspende licitação para pavimentação da MT-130

O governo de Mato Grosso suspendeu o processo licitatório para contratação de empresa que será responsável pela implantação, pavimentação e restauração da MT-130, no trecho entre Paranatinga, a 411 km de Cuiabá, e a comunidade Sete Placas. A medida, que segundo o governo é temporária, foi tomada após o Tribunal de Contas do Estado (TCE-MT) apontar supostas irregularidades no certame.

Por meio de nota, a Secretaria Estadual de Infraestrutura e Logística (Sinfra-MT) informou que os servidores da pasta e do TCE já iniciaram as tratativas técnicas para sanar as supostas irregularidades, a fim de que a licitação seja retomada.

As irregularidades foram apontadas por auditores em uma representação de natureza interna formalizada pela Secretaria de Controle Externo de Obras e Serviços de Engenharia (Secex-Obras).

No último dia 10, a relatora do processo no TCE, conselheira substituta Jaqueline Maria Jacobsen Marques indeferiu o pedido feito pela Secex-Obras para suspender a licitação, uma vez que, quando notificado, o secretário da Sinfra, Marcelo Duarte, informou que a pasta concordava parcialmente com os apontamentos feitos pelos auditores e iria fazer as correções necessárias.

"Embora tenha anuído apenas parcialmente com o posicionamento da Secex-Obras, o fato de o gestor noticiar a suspensão da licitação impugnada afasta, por ora, o periculum in mora, um dos requisitos essenciais e cuja presença se faz indispensável ao deferimento do pleito formulado pela Secex-Obras nesta fase processual", afirmou, na decisão.

Licitação

A licitação foi lançada pelo governo do estado em setembro deste ano e o trecho que deve passar por obras tem extensão de 44 km. A obra tem custo previsto de R$ 43,5 milhões e visa melhorar o escoamento da produção de grãos daquela região.

 

De acordo com o governo, apenas o município de Paranatinga produz atualmente quase 300 mil hectares de soja, com capacidade para aumentar sua produção para 1 milhão de hectares.

fonte: G1-MT

Colaboradores da Concessionária Morro da Mesa aderem ao movimento Outubro Rosa

Como todos os anos a Concessionária Morro da Mesa aderiu ao movimento Outubro Rosa e promoveu com auxílio das alunas do 6º ano de enfermagem da Unic, palestra de conscientização sobre o câncer de mama e também sobre os direitos humanos das mulheres.

A diretora institucional da Concessionária Morro da Mesa, Luciana dos Santos, falou sobre a adesão da empresa ao movimento. “Não poderíamos ficar de fora de uma data especial para a saúde e qualidade de vida cujo objetivo é promover a conscientização e compartilhamento de informações sobre o câncer de mama no Brasil e no mundo”.

A professora Rubia Carla Almeida, ressaltou a importância da ação da empresa. “Essa iniciativa é ótima, uma vez que trabalhamos com a prevenção e não com a doença, quanto mais a empresa promove ações como estas, menos doenças teremos”.

Todos os funcionários receberam o laço rosa, que representa a campanha que será usado durante todo mês.

O movimento

 

 O movimento representa a luta contra o câncer de mama envolvendo a participação da sociedade, empresas e entidades. Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS) o câncer de mama é o que mais acomete as mulheres em todo o mundo, sendo 1,38 milhões de novos casos e causam 458 mil mortes pela doença por ano. A mobilização tem o objetivo de divulgar o combate ao câncer de mama em todo o mundo. Lembrando que o câncer de mama apesar de ser uma doença grave, na maior parte dos casos, tem cura se o diagnóstico for precoce. O Outubro Rosa continua até o final do mês, visando frisar a importância do autoexame.

fonte: Assessoria

Juarez nega candidatura. “Estão especulando com o meu nome”

A presidente municipal do PDT, advogada Cibele do Amaral vem conduzindo de forma desastrosa e sem rumo o partido no município. Depois de ser elogiada pelo dep. Zeca Viana como a grande responsável pela articulação que retirou o PSDB da aliança dos Vianas e trocou pelo PSC da vereadora Carmem, a militante pedetista conseguiu convencer Mateus Viana em ser o candidato com várias conversas reservadas.

Agora o PDT nega até mesmo a desistência do candidato Mateus Viana, muito embora a reunião tenha acontecido de fato, Mateus não tenha comparecido. Muito embora Mateus tenha ligado para a Advogada Suelém Viana Corá e informado a ela que não seria mais candidato a nada. Muito embora a mulher que vive com Getúlio, Gisele Ferreira, tenha postado uma mensagem muito vaga e conformada sobre Mateus no grupo de WhatsApp. A recusa do PDT, conforme foi publicado ontem por este Jornal, se deve ao fato de que o ex Prefeito, afastado por crime de improbidade, Getúlio Viana está em São Paulo e só chega amanhã, quinta-feira em Primavera do Leste para resolver todo o imbróglio que foi criado pela militante do PDT.

Ontem, o Presidente do PSC, Sr. Oziel, disse em áudio gravado e que circula nas redes sociais a seguinte afirmação: “...eu e a dra. Cibele do PDT, conversando com o Dep. Zeca Viana, e o Zeca Viana sabe do que eu estou falando, entendeu? Eles confirmaram a candidatura de Juarez da Loreta (PDT) de vice da Carmem...”, disse ele em áudio gravado que está na posse da redação do Jornal CORREIO DA CIDADE MT.          

Em contato com a reportagem na manhã desta quarta-feira, o vereador Juarez da Loreta negou que seja o candidato a vice, dentre outros motivos pela resistência de seus familiares e de sua equipe médica, já que Juarez da Loreta enfrentou graves problemas cardíacos, foi internado, passou por cirurgia e fez um implante de um aparelho no coração (CDI). “Estão especulando com o meu nome”, disse ele a reportagem. Juarez afirmou que torce para que a chapa continue a mesma (Mateus/Carmem) mas disse que dentro um ou dois dias, o PDT vai dar uma solução.

O Sr. Oziel, do PSC não tem nenhuma responsabilidade sob a informação, já que foi passada a ele pela militante do PDT, Cibele Amaral, a grande articuladora, na visão de Zeca Viana, que teria decidido o nome de Juarez em conjunto com o deputado e passou ao Sr. Oziel que tão somente repassou a informação no áudio e que foi publicada por este Jornal e outros veículos de comunicação em Primavera.  

A especulação com o nome de Juarez é responsabilidade de Cibele Amaral, assim como o nome de Mateus para candidato foi obra sua, além do afastamento do PSDB. Ela, que por estreitos laços pessoais com o deputado Zeca, foi levada por este para a presidência do partido, vem causando o esfacelamento de uma outrora importante e vitoriosa legenda. E tudo com as bênçãos de Zeca Viana.

O deputado, na ânsia de colocá-la em lugar de destaque no partido, ignorou Pedetistas Históricos e nomes eleitos como o de sua própria esposa, Iva Viana, ou do vereador reeleito Neri Gaiteiro, ou até mesmo de Juarez da Loreta, além de outros históricos do PDT na cidade. 

O resultado é que o partido vai disputar as eleições de uma forma atabalhoada, sem rumo, sem definição e sem conseguir mobilizar sua real militância, exceto aqueles que diretamente dependem dos cargos públicos, indicados pela família Viana.

Ely Leal - Redação 

PDT escolhe vice da candidata Carmem. Vereador Juarez da Loreta

Uma reunião no início da noite entre o deputado Zeca Viana (PDT), Sr. Oziel (Presidente do PSC) e a militante Cibele Amaral, ficou definido que o candidato a vice da vereadora Carmem será o vereador do PDT Juarez da Loreta. 

A reunião foi revelado pelo Sr. Oziel em áudio enviado no seu grupo de whatsapp, onde revela também como foi o dia o QG da campanha. 

Segundo ele, Zeca aceitou o nome de Carmem como candidata a Prefeita e deixou a organização do vice para a militante do PDT Cibele Amaral, grande arquiteta do PDT em Primavera e responsável por toda a organização do partido neste pleito eleitoral. Foi escolhido o nome do vereador Juarez da Loreta, que recentemente passou por graves problemas cardiaco e que está restabelecido com boa saúde. 

A chapa Carmem/Juarez espera arrebanhar todos os militantes e começar a partir de amanhã a disputa eleitoral contra Léo Bortolin (PMDB) que agrega 14 partidos em sua coligação. 

Juarez foi candidato a vice prefeito derrotado em 2012 na chapa com Mateus Viana.

Ely Leal - Redação

 

 

Assinar este feed RSS

29°C

Primavera do Leste

Parcialmente Nublado

Umidade: 70%

Ventos: 0 km/h

  • 24 Mar 2016 27°C 21°C
  • 25 Mar 2016 27°C 21°C
Banner 468 x 60 px